Tiros e bombas levam o terror a Manguinhos!

Operação policial na manhã de terça-feira (16), gera pânico e desespero a moradores.

Na semana em que é comemorado o Feriado de Zumbi (20/11), o preto, pobre e favelado acordou ao som de tiros e bombas, dessa vez o alvo foi a favela de Manguinhos, localizada na zona norte do Rio de Janeiro.

Na terça-feira (16), uma mega operação causou pânico e revolta nos moradores, impedindo de circularem e realizarem suas atividades do cotidiano. Segundo moradores, é uma situação recorrente e os policiais entram nas casas e são desrespeitosos.

Há relatos que o carro blindado arrebentou os fios, deixando parte da comunidade sem energia elétrica. Os moradores estão reivindicando e lutando pelos seus direitos. “Essas operações afetam muito a vida dos moradores. Nessas últimas semanas já aconteceu várias vezes. Nesse momento muitas casas estão sem luz, tem local que estourou cano, é desumano, né? Não temos água, luz e direito de ir e vir. Eles espalham o terror pela comunidade, quem consegue viver assim? E ainda tem gente que diz que as pessoas nas favelas estão acostumadas com isso, e a gente reforça que ninguém se acostuma com a violência”, conta Fábio Monteiro, morador e membro do Conselho Comunitário de Manguinhos.

Segundo relato de moradores, o motivo das operações seria para encontrar quem matou o policial que foi assassinado no viaduto de Benfica, no dia 27 de outubro. “Essas operações que vem acontecendo já mataram duas pessoas e uma ficou ferida. Hoje crianças que iriam para o colégio já não foram, adultos que iam sair para trabalhar já não saíram, com risco de perder seus empregos. É uma bola de neve, e cada vez mais temos nossos direitos sendo violados. Então é por isso que estamos lutando e reivindicando, o direito à vida.”, diz.

Por conta de operações policiais, a Clínica da Família Victor Valla, localizada na praça do Pac, não realizou atendimentos na terça-feira (16), “A clínica não pode funcionar hoje. Mais um dado que esse tipo de ação reflete no acesso a saúde pública”, finaliza Fábio.


Foto: Fala Manguinhos

De acordo com estudos do Instituto Fogo Cruzado, entre janeiro e setembro de 2021, policiais mataram 1096 pessoas no estado do Rio de Janeiro. Lembrando que o Superior Tribunal Federal – STF, proibiu operações policiais em meio a pandemia. No entanto, segundo levantamento do Grupo de Estudos Novos Ilegalismos da UFF (Geni/UFF), mostra que os policiais fluminenses, mataram mais em 2021 do que nos meses anteriores à decisão. Pesquisadores afirmam ainda que essas ações da PM são uma afronta a decisão.

O Movimento Popular de Favelas, escreveu uma carta mostrando toda a indignação e revolta dos moradores.

Confira a Carta:

Mais um dia de operação na Favela.

O alvo hoje é a Favela de Manguinhos! Nada de diferente de outras! Policiais entram para fazerem "seus deveres". PORÉM quais seriam? Invadirem casas de pessoas que teriam que ir trabalhar, crianças que teriam que ir para a escola, e não podem ir?!!! Porque será? A resposta é simples, seus direitos não são garantidos. Há anos a história se repete.

Como todos sabemos a polícia é apenas um braço do Estado!!!! E o cidadão das Favelas precisa e exige que o Estado se faça presente para garantir a vida, dignidade dos moradores em que nela vive, trabalha, cria seus filhos. No lugar em que possa compartilhar várias histórias de alegrias, sonhos, esperanças, e não a de tragédias das operações policiais.

Basta!

Dia 4 celebramos o dia da Favela mostrando o que é Favela! Lugar de potencialidade cultural e econômica. E este lugar merece respeito como qualquer outro lugar da Cidade, Estado, País.

O olhar é para o trabalhador, para cada mãe que sofre em ter que deixar seus filhos sozinhos em casa para irem trabalhar.

Para cada jovem que tem que provar que não bandido, por morar em favela e ser preto.

O olhar tem para uma parte da Cidade que sofre com a desigualdades sociais, com o racismo estrutural, como outros povos!

A Favela é Resistência

A Favela é Potência.

Texto: Movimento Popular de Favelas.

21 visualizações