Rio não terá festa popular de réveillon. O Carnaval está ameaçado

Com a chegada das festas de fim de ano e a expectativa para a realização do carnaval, o Comitê Científico do Estado se posicionou contra a realização dos eventos. A Associação Nacional de Medicina do Trabalho (ANAMT), também alertou o risco das festas no combate à covid-19.

Em nota assinada pela presidente Dra. Rosylane Rocha e pela diretora de Ética e Defesa Profissional, DRA. Walneia Moreira, a ANAMT alerta para o risco de aglomerações em carnaval e festas de fim de ano. Afirmam também que a pandemia não está totalmente controlada e já apresenta uma nova variante (ômicron) em território brasileiro. No Rio de Janeiro, o réveillon já foi cancelado.


Foto: Fernando Maia / Riotur

A ANAMT disse ainda que o avanço da vacinação possibilitou que o Brasil melhorasse seus indicadores, mas até o momento não sabem exatamente como será o comportamento dessa nova variante em relação aos indivíduos vacinados, e embora a média móvel de óbitos, que ultrapassou 3 mil em abril de 2020, esteja há 30 dias abaixo de 300, isso ainda significa que há centenas de óbitos diários por covid-19, e atualmente a média de novos casos da doença ultrapassa a marca de 9 mil infectados por dia.

De acordo com pesquisadores do Observatório Covid-19 Fiocruz, os números mostram bons resultados que o Brasil vem obtendo em campanha de vacinação, e está atingindo seu objetivo que é a redução de casos e o impacto da doença.

Além do novo Coronavírus, está tendo crescimento dos casos de gripe, e a Infogripe aponta 13 das 27 unidades federativas apresentam sinal de crescimento na tendência de longo prazo da Síndrome Aguda Respiratória – SRAG. São eles: Acre, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espirito Santo, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Pará, Rio de Janeiro, Rondônia e São Paulo. Estando Pará, Ceará e Rio de Janeiro nas piores posições.




O prefeito da Cidade do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, afirmou em suas redes sociais sobre a decisão de cancelar a festa de ano novo mais tradicional da cidade, que é tradicionalmente realizada na praia de Copacabana “Respeitamos a ciência. Como são opiniões divergentes entre comitês científicos, vamos sempre ficar com a mais restritiva. Tomo a decisão com tristeza, mas não temos como organizar a celebração sem a garantia de todas as autoridades sanitárias”, disse em sua publicação.

Entre as cidades que cancelaram as festas no Rio, estão Duque de Caxias, São Gonçalo e Niterói. 

8 visualizações