Rebeca Andrade – Conheça a trajetória de uma vencedora

Por Álvaro Maciel


Rebeca Andrade. Foto: Miriam Jeske/Brasil2016.gov.b



Jogos Olímpicos 2021

Os Jogos Olímpico 2021 acontecerão nesse mês na capital japonesa, Tóquio, entre 23 de julho e 8 de agosto de 2021. Eles estavam inicialmente programados para julho e agosto de 2020. Devido a pandemia covid-19 mas foram adiados. Conheça a trajetória de Rebeca Andrade e saiba por que a ginasta conquistou o coração do povo brasileiro.



Biografia

Em 2012, com apenas 13 anos de idade e em seu primeiro campeonato como profissional, Rebeca tornou-se campeã do Troféu Brasil de Ginástica Artística, superando ginastas de renome no cenário nacional, como Jade Barbosa e Daniele Hypólito.


Especialidade: Salto e Barras assimétricas.

Nascimento: 8 de maio de 1999 (22 anos).

Modalidade: Ginástica Artística Feminina.


O Início

Rebeca Andrade nasceu em Guarulhos (SP) numa família simples, onde convive com mais sete irmãos. Teve uma infância bastante difícil. Sua mãe, empregada doméstica, sempre apoiou a filha, mas foi sua tia que a levou ao Ginásio Bonifácio Cardoso, local onde trabalhava, e com apenas quatro anos de idade a menina deu os primeiros passos na modalidade. Seu meio de transporte para chegar aos treinos era a bicicleta. Bem cedo recebeu o apelido de “Daiane dos Santos Dois" por sua desenvoltura nos aparelhos.


Conquistas

Com 13 anos, em 2012, brilhou em seu primeiro campeonato como profissional. A jovem se tornou campeã do Troféu Brasil de Ginástica Artística, superando grandes nomes da modalidade nacional, como Jade Barbosa e Daniele Hypólito. Rebeca faria sua estreia em competições internacionais com a Seleção Brasileira três anos depois, onde conquistou a medalha de bronze nas paralelas assimétricas, na Copa do Mundo de Ginástica, em Ljubjana, na Eslovênia. Em 2017, a atleta conseguiria seu primeiro ouro em competições adultas, após vencer a prova de salto sobre a mesa na etapa de Koper, também na Eslovênia, feito repetido em Varna, na Bulgária, onde garantiu dois ouros, no salto sobre o cavalo e nas barras assimétricas. Veio 2018 e a ginasta disputou mais uma etapa da Copa do Mundo, e somou mais dois ouros em seu curríulo: no salto sobre o cavalo e na trave.


Momentos difíceis

</