Projeto União e Ação na luta contra a carência alimentar

Num momento em que o Estado do Rio deixa de atender com alimentação a população em situação de rua e o  Brasil se encontra no mapa da fome, projetos como União e Ação lutam para minimizar a carência alimentar de pessoas nestas condições por meio da distribuição de quentinhas e outras atividades.


A iniciativa União e Ação nasceu a partir do trabalho iniciado no Movimento Favelação  no início da pandemia na distribuição de sabonetes nas favelas no combate à Covid-19.


Este projeto surgiu da necessidade de participar da luta contra a fome nas favelas e nas ruas, devido a política fascista do governo de acabar com programas sociais importantes e o aumento absurdo da cesta básica, dessa forma influenciando a volta do nosso país ao mapa da fome.

Atuantes no Rio de Janeiro, a distribuição de refeições se encontra em maior parte na capital , Centro, Ilha do Governador e adjacências, na distribuição de cestas básicas, tanto em favelas da capital como na baixada.

Além de doações de vestuários, roupas de cama, máscaras,  materiais hospitalares (cadeiras de rodas e higiênica, muletas, andador e outros), o projeto também atende algumas demandas especiais nas comunidades.


Paulo Sandins, além de coordenar uma equipe de colaboradores, faz parte do processo de fazer coletas das doações, entregar refeições, fazer contato com as Ongs parceiras e doadores. O Coordenador fala da importância de estarem atuando neste momento crítico do Brasil onde a população em situação de rua mais cresce , "O aumento exponencial de pessoas em situação de insegurança alimentar nas ruas e favelas, a situação da violência provocada pelo terrorismo de Estado , com várias mortes provocadas pela "Guerra as drogas", mais  o genocídio do povo brasileiro  praticado pelo governo federal na pandemia, não disponibilizando máscaras, álcool e campanhas publicitárias para esclarecimento sobre a Covid-19 , tem feito parte deste impacto. Acho bom frisar a atitude negacionista desse desgoverno fascista. Todos estes fatores, fazem com que tenhamos a certeza de que estamos no caminho certo, não só distribuindo mas conversando com as pessoas sobre a situação política do país", disse Paulo.


A iniciativa conta com vários projetos para avançar nesse processo, como as cozinhas solidárias e comunitárias, ações das sócias com vacinas, banheiros públicos e entrega de documentos, encaminhamentos para empregos e tratamentos psicológicos dentre outros. Para Paulo Sandins, para essa expansão ser efetiva , o grupo conta com a sociedade civil como um todo. Ele acredita que só podemos ter sucesso nas lutas contra a fome, racismo, homofobia,  preconceito e a violência nas favelas contando com todos que quiserem se integrar à luta do União e Ação.

46 visualizações