Prêmio homenageia ativistas e entidades que lutam pelos direitos humanos

O ativista comunitário Rumba Gabriel, idealizador do Portal Favelas foi um dos contemplados pelo Prêmio João Canuto de Direitos Humanos, entregue nesta segunda-feira a personalidades que se destacaram ao longo do ano nas trincheiras da justiça e dos direitos humanos. O evento foi realizado online pelo Movimento Humanos Direitos (MHuD) e pela Rede Social de Justiça e Direitos Humanos;

Além de Rumba, receberam o Prêmio João Canuto a médica epidemiologista Margareth Dalcomo, o ativista indiano Kailash Satyarthi, Nobel da Paz de 2014, o setor de agroecologia e alimentos do MST, representado por Antonia Ivoneide, o Instituto Paulo Freire, as Redes Tradicionais de Comunidades Pantaneiras, e as lideranças indígenas Daniel Kuiukuro por sua luta em defesa do povo indígena contra a epidemia do Coronavirus e Kreta Kaingang, do Levante Indígena Pela Terra, que ocupou a esplanada dos Ministérios em Brasília durante o mês de junho contra a PEC 490 e diversos outros projetos de lei que retiram direitos dos povos indígenas.

No evento também foi lançado o livro “Direitos Humanos no Brasil 2021”, publicado pela Rede Social de Justiça e Direitos Humanos. A edição 2021 desta publicação, que é feita anualmente, é composta por 32 artigos escritos por 46 autoras e autores, entre pesquisadores e ativistas de movimentos sociais. Os textos analisam como estão os direitos fundamentais no Brasil relacionados à saúde pública, educação, terra, proteção do meio ambiente e alimentação.

O evento foi aberto pela atriz Dira Paes, presidente do MHuD, que falou sobre a trajetória do grupo, criado em 2003 e formado por artistas e intelectuais, com o objetivo de contribuir, dar luz e visibilidade a muitas lutas de grupos e pessoas que tiveram seus direitos ceifados. O MHud tem como pilares a defesa da saúde, do direito e do trabalho para todos e contra o trabalho escravo, a prostituição infantil, pela preservação do meio ambiente, pelas causas indígenas e quilombolas.

Veja um trecho da cerimônia de entrega do prêmio nesta segunda-feira:


O Movimento Humanos Direitos conta com parcerias institucionais e de diversas organizações sociais na realização do trabalho junto aos movimentos de trabalhadores urbanos e rurais do país. A cada ano, o MHuD e a Rede Sociel de Justiça e Direitos Humanos oferecem o prêmio João Canuto a pessoas e entidades que resistiram e se destacaram nas trincheiras da luta em defesa da vida. O prêmio foi criado em homenagem ao sindicalista João canuto assassinado em 1985 pelo latifúndio no Pará.

Nesta edição de 2021 do Prêmio João Canuto também foi feita uma homenagem especial a Sérgio Mamberti, que morreu recentemente. Ele foi lembrado por seu filho, Carlos Mamberti, por sua trajetória seja nos palcos ou como gestor público da área de cultura. Ao final, o cartunista e músico Renato Aroeira prestou uma homenagem a Sérgio Mamberti tocando e cantando, junto com o violonista Igor Eça, a música Falando de Amor, de Tom Jobim.

O evento foi transmitido ao vivo pela TVT e pode ser vista no youtube neste link https://www.youtube.com/watch?v=yfaDoCwHcFg

25 visualizações