• Xico Teixeira; jornalista do Portal

O significado de meio milhão

Texto do Prof. Adair Rocha

"Para os negacionistas é apenas uma despesa a menos. Para os fascistas geradores do mais terrível crime contra a humanidade, o holocausto, a "naturalidade" da câmara de gás. Para os de hoje, que governam o Brasil, a negação da ciência e, portanto, da Vacina e dos devidos cuidados sanitários, ridicularizando as atitudes que o mundo e a OMS assumem e recomendam.

Esse número de pessoas mortas tem um peso histórico que recai não apenas sobre os responsáveis mais diretos, pela responsabilidade de gestão pública que ocupam, mas toda sociedade, mais diretamente, porém, a brasileira, responsável pela produção do imaginário que banaliza a vida de forma classificatória e hierarquizadora da vida da população, com a herança ainda e sempre vergonhosa e longeva da ESCRAVIZAÇÃO, ainda vigente no Brasil. Vide a existência de favelas que amargam a ausência de políticas públicas.

Meio milhão de mortes de vidas humanas, provocadas pela chegada tardia e intencional de seu tratamento, tem nome e consequência: genocídio. E sua interrupção, ainda que vagarosa, está na proporção da rapidez do tempo de acesso à vacina e uso de MÁSCARAS, enquanto o vírus e suas variações possam ser transmitidos.

Enquanto isso, os cuidados jurídicos e políticos, ambos sanitários precisam caminhar a passos largos, não só para impedirmos o assassinato em curso, mas também para o tratamento preventivo que só uma estrutura democrática com modelo de Estado, devidamente, expandido, para a consideração mínima do acesso ao que "seres humanos" temos direitos.

E já devemos um pedido de desculpas à humanidade, por termos permitido meio milhão de mortes de pessoas com nome e sobrenome, como Paulo Gustavo e todas as outras.


Adair Rocha"

139 visualizações