Medusa: arte contemporânea da zona norte

Na semana do Dia Internacional do Orgulho LGBTQIAPN+ , a arte contemporânea , em detalhes acrílicos sobre tela , ganham forma preta , bissexual e futurista .

A artista visual Marcely Avellar da Zona Norte do RJ, conta ao Portal Favelas sua trajetória artística e seu projeto AMEDUSAPINTA

Nascida e criada na Zona Norte (RJ), Marcely Avellar, tem 24 anos , é estudante da Escola de Artes Visuais do Parque Lage nos cursos de Problemáticas em Curadoria e Psicanálise é Arte. Sua história na arte começou em 2013 no coletivo Engenho da Tinta, ali teve seu primeiro contato com o Graffiti.

Em 2014, aos 17 anos e com a assinatura “MARVEN”, a artista começa a retratar a subjetividade feminina nos muros da cidade ao mesmo tempo em que busca entender as fases do próprio processo de se tornar mulher. Em 2020 desenvolveu a persona Medusa em seus quadros, a Medusa nos quadros é uma imagem que traz uma proposta futurista de liberdade.

Para a artista Medusa há uma força divina em todos os seres vivos, que nos permite um “contorcionismo social”, num esforço quase sobre-humano em não apenas SOBREVIVER, mas PROSPERAR em meio ao caos urbano.

Esse sopro efêmero aparece à artista como uma força feminina, uma mãe mítica, abrindo janelas inconscientes de criatividade e novas formas de expressão e interação com o mundo, não necessariamente com o intuito de ser compreendida ou absorvida, mas existindo simultaneamente com todas as leis físicas e expressões culturais.

Segundo Medusa , a liberdade não é reivindicada e vivida de fato, ela é ilusória (não existe) e precisa ser criada. A Medusa nasceu na tentativa de representar essa força gigante e feminina, esse espírito livre e fugitivo da criação.

Desta forma , em 2021 ela criou o projeto artístico AMEDUSAPINTA . O projeto busca, em todas as suas expressões, propagar princípios ancestrais desvalorizados pelas leis canônicas do conhecimento e manifestar presenças invisibilizadas da sociedade através da imersão nas nuances da subjetividade dos marginalizados.

Com todo este enredo, em Fevereiro de 2022, a pintora participou da exposição “Condicionada : o afeto que habita em mim" junto com a artista visual Ayra Aziza ( @ayra_aziza ) , a exposição aconteceu no espaço Ganjah - Lapa (RJ) , onde o quadro “Maestrina do Caos” ganhou destaque entre as várias obras da exposição .

Como a artista descreve , " a obra Maestrina do Caos mostra a persona Medusa em diferentes corpos e momentos de sensualidade. Em seus elementos podemos ver uma capa em formato de um tronco com dois alvos nos seios, que retrata a objetificação da mulher e simboliza a pressão estética que dita o que é desejável. Este corpo tem um rasgo que mostra seu interior vazio, este rasgo já foi costurado antes mas agora está aberto, simbolizando a fuga da persona à este padrão de beleza. A mulher com chapéu de bruxa representa a ressignificação dos estereótipos designados às mulheres que não correspondem às expectativas sexuais masculinas".


Para quem se interessar em adquirir alguma obra da artista , como a que ela traz à tona em uma série de quadros que estão em construção , acompanhá-la em sua rede social , a fim de conhecer suas outras obras como “ Cama de Gata “ ( 2021 ) ou contatá - la para Exposição , acessem Instagram: @amedusapinta ou E-mail: m.redine@gmail.com

. E tem novidades por aí! Recentemente o estúdio Mascavo Criativo produziu um editorial com a Medusa e suas obras. O editorial será lançado nas redes sociais @mascavo.co , @amedusapinta , e no site https://www.mascavo.co/.



64 visualizações