Jornal francês publica artigo sobre racismo e violência na Baixada

O Jornal francês Le Diplomatique, em sua versão brasileira, publicou artigo sobre racismo e violência letal do estado: um olhar a partir da Baixada Fluminense. O texto foi escrito por Adriano Moreira de Araújo, coordenador executivo do Fórum Grita Baixada e mestre em sociologia.

O Diplomatique Brasil traz notícias do que acontece no mundo, com análises profundas e contextualizadas. Em sua versão eletrônica, o jornal trouxe o artigo produzido por Fórum Grita Baixada, onde revela números assustadores sobre a violência na Baixada Fluminense.

O texto trouxe ainda o resgate historiográfico da violência na região e algumas iniciativas históricas e populares em prol da luta pela democracia e Direitos Humanos, além de aspectos críticos sobre letalidade policial, segurança pública e racismo.

De acordo com o “Grita Baixada”, 2 crianças são mortas diariamente pela polícia e quase 70% dessas crianças e adolescentes são negros ou pardos, são números apontados pelo II Boletim Racismo e Violência na baixada Fluminense, estudo realizado pelo Fórum.

Em novembro, mês da consciência negra, o Fórum lançou uma série de boletins que traz impactos da violência do Estado, e principalmente na região da Baixada. O estudo revela que ano passado, 17 crianças ou adolescentes foram mortos pela polícia na localidade. Entre 2018 e 2020, foram 77 crianças vítimas da violência do Estado, violência essa que vem de quem deveria proteger e atinge sempre o mesmo grupo: pessoas pretas, pobres e faveladas.


A matéria publicada pelo jornal no dia 02 de novembro, abordou também sobre algumas das referências de luta que até hoje movimentam ativistas “Foi nas décadas da ditadura civil-militar (1964-1985) que a região experimentou algumas das referências que até hoje alimentam o repertório de ativistas sociais e lideranças comunitárias”. Além disso, ainda falou sobre opressões e desigualdades vividas até hoje pelos moradores “Habitada por cerca de 3,9 milhões de pessoas, reunindo treze cidades, a Baixada Fluminense carrega em si a memória de um espaço social forjado na luta do povo contra opressões, violências e desigualdades de toda espécie,

Em 2020, 1245 pessoas foram mortas pela polícia, e cerca de 32,44% dessas mortes, ou seja, 404, foram na Baixada Fluminense. Desses mortos, 98,3% eram homens e 73% desses homens eram pretos ou pardos.

Clique aqui para ver mais detalhes sobre o boletim que foi publicado em novembro a partir de dados e depoimentos de jovens e militantes dos territórios da Baixada Fluminense www.forumgritabaixada.org.br


Veja a matéria publicada no jornal Diplomatique Brasil na integra. https://diplomatique.org.br/racismo-e-violencia-letal-do-estado-um-olhar-a-partir-da-baixada-fluminense/



18 visualizações