Jornal covarde ataca liderança do Jacarezinho

Uma das maiores lideranças de favela do Rio de Janeiro está sendo alvo de insinuações maldosas e cruéis de um jornal carioca que publicou matéria tentando manchar seu nome e sua reputação. O compositor, jornalista, ativista social Antonio Carlos Gabriel, o Rumba, é liderança comunitária do Jacarezinho, do Movimento Popular de Favelas, do Portal Favelas e um dos responsáveis pela mobilização do Jacarezinho no ato do dia 08 de maio, e das favelas no dia 13 de maio, em resposta ao massacre ocorrido no Jacarezinho no dia 06 de maio.

É muito estranho que a matéria do jornal O Dia, que não tem assinatura de repórter, tenha surgido exatamente num contexto em que Rumba volta a ter um maior protagonismo no espaço público, tendo participado de inúmeros programas e entrevistas para canais de tv, radio, sites, portais e órgãos de imprensa em geral, nas ultimas 2 semanas, repercutindo no Brasil e no exterior o massacre do Jacarezinho, quando a polícia civil e a PM do Estado do Rio de Janeiro mataram mais de 27 moradores da favela.

O jornal envolve ainda a deputada Dani Monteiro, do PSOL, em cujo gabinete o Rumba trabalha como assessor há anos. De maneira vil, a matéria do jornal faz ligação do Rumba com o tráfico de drogas, revelando que ele é irmão da mulher, conhecida como Sandra, presa recentemente e acusada de participar do tráfico na favela.

Durante o dia desta terça-feira (25) várias lideranças de favela e ativistas sociais prestaram solidariedade ao Rumba. Uma destas lideranças de favela deu uma declaração dizendo que ser parente não é crime. Para ela, a mídia que faz este tipo de matéria é racista e conivente com o genocídio da população negra.

Outro ativista político disse que é importante denunciar a matéria deste jornal como resultado do conluio de parte da imprensa privada com o estado miliciano que vai crescendo no Rio, fruto da narrativa de políticos fascistas como Bolsonaro e Claudio Castro, que usam a existência do tráfico para tentar justificar a existência das milícias.

Chama a atenção também o fato da matéria não ter sido assinada por um repórter, o que leva a crer que faz parte da opinião do jornal. Opinião racista e pró milicianos.

A deputada Dani Monteiro divulgou uma declaração, logo que soube da matéria típica de um jornal da imprensa marrom, das décadas da ditadura.

Veja a publicação do jornal O Dia:

https://odia.ig.com.br/rio-de-janeiro/2021/05/6152570-irmao-de-sandra-sapatao-e-assessor-de-deputada-do-psol.html


447 visualizações