Jacarezinho Também Tem História


Foto: GE década de 20.


A História da favela do Jacarezinho como dizemos anteriormente ela é bastante complexa e longa, existem possibilidades do espaço onde era uma chácara que hoje se encontra totalmente ocupada por casas que podem chegar à cinco andares, ter sido um quilombo, está teoria baseia-se pelo rio que corta a comunidade o Rio Jacaré (Yacaré) que era navegável através de pequenas canoas.


Localização da Comunidade.

O Jacarezinho fica localizado na zona norte do Rio de Janeiro, capital. Desde 1992 é considerado um bairro e que pertence ao distrito do grande Méier. A favela do Jacarezinho faz limites com as seguintes localidades: Maria da Graça, Cachambi, Jacaré, Benfica e Manguinhos.

População:


Conforme as lideranças comunitárias – 80 mil habitantes.

66 mil habitantes (informação da secretaria de habitação em 2002).

Já os números de habitantes cadastrados nas duas clinicas da família que cobrem a comunidade – Temos proximamente 28 a 35 mil habitantes. Falar da favela Jacarezinho talvez seja uma das mais árdua tarefa, é como através desse texto pudéssemos dar voz a milhares de moradores. Já que falamos de milhares de vozes, uma das grandes polemicas discutidas internamente na comunidade é sobre o real quantitativo de habitantes que a comunidade possui nos dias atuais. Jacarezinho é uma favela que cresce na vertical e ao andarmos pelos becos e vielas podemos constatar a quantidade de crianças que brincam. A favela do Jacarezinho tem décadas de existência, durante os anos 40 do século XX os jornais já mencionavam o nome “Jacarezinho”, tivemos inclusive em 1948 a visita do presidente Dutra na inauguração da Fundação Leão XIII.

As invasões no território onde fica hoje o Jacarezinho fica mais frequente a partir de 1920 com as instalações de grandes indústrias entorno da região, principalmente no bairro do Jacaré que passaria a décadas futuras como o segundo maior parque industrial do estado do Rio de Janeiro. Até o início da década de 40, as casas eram feitas de madeira e zinco, havia uma Constante resistência dos moradores para permanecerem no local.

O surgimento do Nome Jacarezinho.

Sabemos que oficialmente a localidade era chamada de Vieira Fazenda por causa da estação de trem durante as primeiras décadas do século XX. Chegamos esta conclusão através de pesquisas a diversas publicações em jornais neste período de 1910 até o final da década de 20 comprovam que o endereço dado pelos os moradores era Vieira Fazenda.

Conforme muitos moradores com a faixa etária acima dos 80 anos é que a localidade passou a chamar-se “Mato do Padre Paulo” e logo após “Morro da Titica”, já durante a década de 40 consegui alguns artigos de jornais já com o nome de favela do Jacarezinho.


Foto acima, visita do prefeito Pedro Ernesto ao Bairro do Jacaré em 1933.


Pedido de desapropriação. Em 1944 a Concórdia Sociedade Imobiliária Ltda e a Fábrica Unidas de Tecidos, Rendas e Bordados S.A  , entrou com uma ação na justiça para o desapropriamento do terreno, em 1945 um grupo de lideranças locais, foi ao palácio Guanabara e conversou com Geraldo Mascarenhas do Gabinete do Getúlio Vargas.

Algumas informações não oficiais contada por moradores locais é que Darci Vargas, esposa de Getúlio Vargas intermediou a conversa com o gabinete de Getúlio Vargas. No interior da favela temos uma Rua em homenagem a dona Darci Vargas.

Com o fim da segunda grande guerra o presidente Vargas é destituído do cargo de presidente  e são convocados novos eleição, sendo impossibilitado de se candidatar para o cargo de presidente, Vargas apoia a candidatura do General Gaspar Dutra que se elege.

O Presidente Eurico Gaspar Dutra, esteve na comunidade junto com o prefeito em 1948, para ouvir as lideranças e concede aos moradores a permanência na região. O Terreno foi comprado para os moradores numa importância de Cr$ 1.726,000,00.