• carolinavaz

Ivermectina: medicamento não cura Coronavírus





Por Carolina Vaz

Enquanto crescem os casos de infectados e mortos pelo Coronavírus no Brasil, espalham-se muitas notícias falsas sobre cura e vacina. A mais recente dizia que o remédio Ivermectina, usado para tratamento de sarna e piolho, seria a cura para a doença. Não é verdade: a notícia não tem nenhuma comprovação científica. Exagero A "notícia" (na verdade uma fake news) começou a circular por causa de um estudo australiano que fez testes em laboratório utilizando essa substância em células in vitro. O estudo feito por pesquisadores da Universidade Monash e do Instituto Peter Doherty de Infecção e Imunidade mostrou que a substância impede que o vírus se replique dentro da célula de laboratório. Porém, eles não fizeram testes em humanos, portanto os próprios pesquisadores não afirmaram ser o medicamento uma cura. A fake news vem da má interpretação do estudo.

No momento em que todos buscam uma cura definitiva para o Covid-19, surgem diversos medicamentos aparentemente "milagrosos", como a cloroquina e até a vacina BCG. As redes sociais, principalmente Whatsapp, ajudam a divulgar esses textos falsos, por isso, é sempre aconselhável desconfiar,, checar se a fonte vem de uma universidade, instituição científica ou veículo jornalístico de confiança. É importante lembrar, também, que a automedicação (tomar um remédio sem aconselhamento médico) pode causar reações negativas, e quem o faz pode ser a próxima pessoa a dar entrada num hospital e se expor ao coronavírus. Fugindo das fake news Quem quiser buscar orientações sobre o coronavírus pode confiar em instituições como a Fiocruz e órgãos governamentais como a Secretaria de Estado de Saúde e a Secretaria Municipal de Saúde. Para denúncia de fake news, existe um número de whatsapp do Ministério da Saúde: (61) 99289-4640 Para conhecer os diferentes tipos de fake news que circulam diariamente, veja este vídeo curto do canal Politize.

145 visualizações

O Portal Favelas é uma construção coletiva de moradores de favelas, para falar de e para as favelas, por meio da integração dos diversos canais de comunicação locais ou regionais.

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
  • Twitter