I Conferência Livre, Democrática e Popular de Saúde da Grande Leopoldina

Por um Sus Participativo


No dia 16 de julho, acontecerá a I Conferência Livre, Democrática e Popular de Saúde da Grande Leopoldina, na Unisuam, faculdade localizada em Bonsucesso, bairro da zona norte do Rio de Janeiro. Em seguida, no dia 23 de julho, o Rio de janeiro realiza a conferência regional preparatória, que será no Teatro Odylo Costa Filho, da UERJ.

Os encontros tem por objetivo mobilizar a sociedade para a discussão sobre a saúde e fortalecer a realização da Conferência Nacional, Livre, democrática e Soberana de Saúde que vai acontecer no dia 05 de agosto, em São Paulo.

Até lá, entidades de saúde e a sociedade civil em geral estarão mobilizadas para realizar encontros regionais para o debate que vai propor ao novo governo iniciativas democráticas e populares para ampliar e renovar a saúde pública. “Nós estamos aqui neste esforço de mobilização pela saúde. É uma mobilização pela saúde, e mais que isso, é um esforço de salvação nacional. O país precisa se reorganizar na questão do bem viver e reafirmar a saúde como um direito de todos”, diz Carlos Fidelis, diretor do CEBES e da ASFOC.



Os documentos que dão suporte aos debates podem ser encontrados na página da Frente Pela Vida (frentepelavida.org.br) e referem-se basicamente a eixos temáticos voltados para o fortalecimento do Sistema Único de Saúde: Sus participativo, descentralizado e gerido com base técnica e soberania popular; Financiamento: Sus Fortalecido e Ampliado.

A conferência é o resultado da convergência de dois movimentos: o primeiro, da articulação nacional da Frente Pela Vida que subscreve a pauta Saúde e Democracia; o segundo, de coletivos e organizações populares da região da Leopoldina denunciando e cobrando do poder público ações efetivas para a promoção da vida, e conta com um dia inteiro de programação, com início às 8:30 e previsão de término para às 17:30.

O evento é uma espécie de encontro preparatório a 17ª Conferência Nacional de Saúde, que acontece em julho de 2023, que é uma articulação entre o Conselho Nacional de Saúde, juntamente com o Ministério da Saúde, e acontece a cada 4 anos. A Conferência Nacional é um dos mais importantes espaços de diálogo e sociedade para a construção das políticas públicas do Sistema único de Saúde – SUS. “Estamos na fase antes da Conferência Nacional e contamos com a participação de trabalhadores e trabalhadoras da saúde, movimentos sociais e entidades. É importante que a gente se fortaleça, pois isso significa fortalecer o SUS e defender a democracia, e um novo Brasil, que a gente espera que ocorra o mais breve possível.”, afirma Gulnar, ex-presidente da Abrasco.

O SUS, é um dos maiores complexos de saúde do mundo, e vai desde atendimentos simples, até transplante de órgãos e cirurgias, garantindo o acesso universal e gratuito para toda a sua população. O Sistema Único de Saúde é composto pelo Ministério da Saúde, Estados e Munícipios, conforme determina a Constituição Federal.

14 visualizações