Flup 2022 - 100 anos de modernismo negro

Na semana de 11 a 18 de fevereiro, a Flup 2022 (Festa Literária da Periferia) celebrou os 100 anos do Modernismo negro, com diversas atividades na na Pequena África, zona portuária do Rio de Janeiro. Em sua 11° edição , o Museu de Arte do Rio (MAR) e o Museu da História e Cultura Afro-Brasileira , receberam o evento que foi 100% gratuito e contou com inúmeras atrações no mundo da arte e da música como BK e DJ Renan da Penha .



O evento homenageou três grandes nomes da cultura brasileira apagadas deste movimento histórico brasileiro, Pixinguinha, Lima Barreto e Josephine Baker , celebrando o modernismo negro, da mulher preta com música ,dança e Literatura.

Em toda sua programação a perspectiva preta foi colocada em evidência nos shows , exposições e em debates de mesas em diálogos que aproximavam a periferia. Numa dessas mesas a "Tinta Preta" , rodeada numa conversa com Camilla Rocha Campos, Elian Almeida e Gabriela Marinho , o mediador Jefferson Barbosa do PerifaConnection , contou para o Portal Favelas o quão significativo foi fazer parte de um evento que aproxima à comunidade negra , uma perspectiva que a ela durante muito tempo foi apagada , "a Flup é um espaço orgânico das favelas. Um festival que celebra a vida das periferias, com suas ideias e contribuições na literatura, nas artes, na política e em tudo. Por ser uma festa literária das periferias é também um encontro do Brasil consigo mesmo e por isso reparador".

Veja aqui a programação completa da FLUP 2022 <https://www.flup.net.br/programacao2022>

36 visualizações