Covid: Fiocruz alerta para aumento da ocupação de leitos na UTI

Em matéria publicada pelo Observatório COVID-19 Fiocruz, no dia 13 deste mês, a instituição alerta em nota técnica para o aumento da ocupação dos leitos de UTI no país.




Os dados divulgados são da ocupação de leitos para adultos do Sistema Único de Saúde, onde aponta que cerca de um terço do Brasil encontra-se em alerta intermediário e crítico.

Mas vale ressaltar que o estudo indica um número bem abaixo do indicado no mesmo período de 2021. E a atenção se deve por conta da variante ômicron que tem rápida proliferação do vírus.

A nota técnica afirma que outros países também estão em alerta em razão da disseminação acusada pela variante.

Entre os locais do Brasil com estado mais crítico estão: Pará (71%), Tocantins (61%), Piauí (66%), Ceará (68%), Bahia (63%), Espírito Santo (71%), Goiás (67%) e o Distrito Federal (74%).




Importância da Vacinação


Com a vacinação de adultos e crianças, não impede que a pessoa contraia a doença, porém não terá sintomas fortes e não há risco de morte. Somente com a vacinação completa, ou seja, as duas doses mais o reforço, o país e o mundo conseguirá vencer esta pandemia que se encaminha para mais um ano.

Vale lembrar que mesmo com a vacinação completa, ainda é importante cuidados como: higienização das mãos, uso de máscaras e distanciamento social.

De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo 76% dos internados no hospital Emilio Ribas, não se vacinaram ou estão com sistema vacinal incompleto.

Em entrevista para o Jornal Globo, a intensivista e cardiologista Ludhmila Hajjar, contou que as UTIs estão cheias apenas de pacientes não vacinados e que hoje se arrependem de terem abdicado de um direito básico. Ela disse ainda que pacientes vacinados não contraem a doença de forma grave e dificilmente precisam ser hospitalizados. E alertou sobre a importância da vacinação “É um vírus muito novo que ainda pode nos trazer surpresas, a variante ômicron, tem apresentado comportamento semelhante. A variável mais expressiva em relação ao perfil da doença, tem sido, definitivamente, o não vacinado", contou ao Jornal Globo.

Em casos de sintomas como febre, tosse, dor de garganta e dores de cabeça, procure um centro médico mais próximo e realize o teste. Além disso, mantenha o isolamento até que o teste dê negativo.


Não deixe de se vacinar! Vacinas salvam vidas! Se você ainda não completou o seu sistema vacinal, vá até o posto de saúde mais próximo.


Fonte: Observatório COVID-19

15 visualizações