Fiocruz alerta para a importância da vacinação infantil

A Fundação Oswaldo Cruz – Fiocruz, alerta a população para a importância da vacinação infantil contra a covid 19, principalmente em um momento que o Brasil lida com a possibilidade de uma nova onda da doença. De acordo com dados divulgados pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância – Unicef, a taxa de vacinação no país vem sofrendo uma queda brusca, ou seja, caiu de 93.1% para 71,49%.


Segundo a Organização Mundial da Saúde – OMS, os números da pesquisa colocam o Brasil entre os dez países com menor cobertura vacinal do mundo.


De acordo com a Nota Técnica Diferenciais de Cobertura Vacinal Segundo Grupos Etário no Brasil, divulgada pela Fiocruz, a vacinação infantil é o maior desafio do país. A nota ressalta ainda os danos causados pelas Fake News sobre a vacinação infantil




"Os divulgadores de notícias falsas elevaram o tom da especulação, causando insegurança em muitos pais sobre os riscos de vacinar seus filhos", ressalta a nota.

O SIVEP-Gripe, que reúne as informações sobre a vigilância de pacientes internados em hospitais brasileiros com doenças respiratórias aguda grave, informou que dos 11.613 casos de crianças e adolescentes hospitalizados por covid-19, 71,9% são casos graves.

A Sociedade Brasileira de Imunizações, disponibilizou uma cartilha sobre a importância da vacinação infantil, e fez um apelo as autoridades “Esse cenário é uma das razões pelas quais a Sociedade Brasileira de Pediatria- SBP e a SBim apoiam a aprovação da Anvisa e endossam a recomendação da Câmara Técnica Assessora do Programa Nacional de Imunizações – PNI, para que a vacina Comirnaty (Pfizer), seja imediatamente disponibilizada para a imunização de todas as crianças brasileiras de 6 meses a 4 anos, independente de apresentarem uma comorbidade ou não”, publicou nas redes sociais.

O Ministério da Saúde começou a distribuir hoje (10), vacinas para crianças de 6 meses a 3 anos de idade. Até o momento, 12 estados vão receber os imunizantes da Pfizer. O uso da vacina para esse público foi aprovado pela Anvisa no dia 16 de setembro, mas até o momento nenhuma vacina foi aplicada nesta faixa etária. Já entre as crianças de 5 a 11 anos, cerca de 87% receberam a primeira dose e só 69% a segunda.

40 visualizações