ESPORTES MARGINALIZADOS E MEDALHAS OLÍMPICAS PARA O BRASIL

O surf e o skate foram durante muitos anos vistos com preconceito. Eram coisas de vagabundo que não trabalha e que fica o dia inteiro fumando maconha. A PM durante muitos anos ao ver alguém com um skate era motivo de um “mão na cabeça e encosta no muro”. Outro esteriótipo era de esportes de “playboy” (gente rica).


2021 nos mostra uma menina pobre do interior do Nordeste com 13 anos ganhando uma medalha de prata no skate e uma medalha de ouro no surf conquistada por um filho de peixeiro que aprendeu a surfar utilizando as tampas de isopor das caixas de peixe do pai.


A história se repete o talento brasileiro para o esporte decola quando nosso povo mais humilde tem acesso aos esportes. Poderíamos ser uma potência olímpica caso todo nosso povo tivesse comida para desenvolver seu corpo e escolas com equipamentos e profissionais adequados para a prática de esportes como meio de desenvolvimento pessoal e identificação de futuros atletas. No entanto, a realidade para os filhos da classe trabalhadora nas cidades brasileiras é ficar trancado em casa vendo TV porque na rua são alvos potenciais de serem assassinados em operações policiais que nada resolvem.


Tudo isso só mudará quando a indignação de nosso povo for organizada e transformada em fúria para mudar definitivamente nosso destino.

41 visualizações