"Dias Melhores" é o novo clipe dos rappers de Caxias

Atualizado: 8 de jun.

Em conversa com o Portal Favelas, jovens do Complexo da Mangueirinha falam do lançamento de sua nova produção no mundo do Hip - hop, o Clipe " Dias Melhores”. Produzido por Guta, e lançado no dia 28 de maio, o novo trabalho da DJ Drika, de Lenon Kira e do Mc Rafinha Kalashnikov está disponível na plataforma YouTube,Spotify e outras (vejam o link, no final desta matéria).

Os três artistas se destacam no cenário da Baixada Fluminense no mundo do Hip-hop e contaram ao Portal Favelas os bastidores da produção, de suas origens no mundo musical e de como Dias Melhores dialoga com a realidade das favelas cariocas.

Conhecendo cada artista do Clipe

Rafael mais conhecido como Mc Rafinha Kalashnikov tem 32 anos, é morador do Morro da Lagoinha, um dos 5 morros que compõem o Complexo da Mangueirinha em Duque de Caxias, no Bairro Centenário. Por ter começado em 2008 com o Funk, o artista se vê, hoje, em um novo contexto e desde 2018 é um dos organizadores da Roda Cultural do Centenário. Em 2016, conheceu a ativista DJ Drika que é hoje sua parceira de música e de vida.

No YouTube além do novo projeto musical, o Mc Rafinha também já lançou o clipe “Na fé” que foi a sua primeira música apresentada no seu canal oficial: https://youtube.com/user/reefrafinha.

https://youtu.be/6040ng4bNMQ

A segunda artista do clipe é Adriane Fernandes, a DJ Drika. Tem 25 anos, é “ cria “ da comunidade do Beira-mar e atualmente é Produtora Cultural da Roda Cultural do Centenário, onde teve sua primeira experiência como DJ. Desde cedo ela já era chegada à arte e aos 15 anos de idade começou com produção cultural no festival Playground Rock Festival.

O terceiro integrante do grupo é Adillenon Jorge, conhecido artisticamente como Lenon Kira. Tem 25 anos e é morador da Mangueirinha de Caxias. Aos 15 anos começou nas rodas culturais e, a partir disso, começou gradativamente a ensaiar suas primeiras composições. O Hip-hop foi salvador em sua vida, por isso ele não olha para o universo musical com o objetivo de alcançar a fama, mas alcançar a galera que não tem voz para falar em nome deles. Além dessa nova produção o jovem tem uma música no YouTube no seu canal Lenon Kira, com o título "Decide" ( https://youtu.be/6040ng4bNMQ ).

Sobre os bastidores que envolvem a produção de Dias Melhores, Rafinha é o compositor por trás da obra e, como ele mesmo diz, " o refrão veio à minha mente ". Ao concluir a parte dele na composição, fez a proposta para Lenon participar na música. Drika também foi fundamental na elaboração da música. Por ser companheira de Rafinha, ficava mais fácil para dar seu olhar em partes que ficariam melhor numa voz feminina. Uma série de obstáculos os impediram de lançar o clipe antes de 2018, quando teve início o processo de produção, mas o atraso, acabou contribuindo para que pudessem esplorar todo o potencial musical de cada integrante.

Sobre o local de gravação, Rafinha conta que a ideia de gravar no morro surgiu pelo fato de além de todos morarem no morro e terem uma relação com o Complexo da Mangueirinha (local onde o clip foi gravado), queriam mostrar o quanto o complexo é lindo, "as pessoas me param e falam o quanto é maneiro lá do alto".

O clipe traz muitas referências à realidade periférica, o que é retratado nos símbolos das camisas usadas por cada um no clipe. Devido a parte da construção dela na música, Drika pensou num figurino de uma deusa representando a paz. Eu queria mostrar este aspecto de “trazer dias melhores".

Rafinha também contou sobre o simbolismos da imagem de sua camisa, com a imagem de Jesus Cristo segurando um jovem negro ensanguentado. Ele disse que "esse desenho é de uma rapaziada que eu gosto muito, o W. e combinava 100% com a blusa, porque você vê ali o Cristo Redentor, mas não está da forma que o pessoal da zona sul costuma vê-lo. O Cristo Redentor para nós da favela está na estética de um negro morto numa favela, sempre pedindo paz ", explicou Rainha.

Lenon também falou de sua camisa com a imagem do Tupac, que é uma questão de representatividade: " Dias Melhores para nossa comunidade é ver um pouco da história do Tupac", que foi um rapper, ator e compositor estadunidense, considerado como um dos melhores rappers de todos os tempos, morto em 1996, atingido por quatro tiros num tiroteio, na cidade de Las Vegas.

Para fechar todo este desdobramento do clipe Dias Melhores, os artistas falaram sobre os seus trabalhos numa mensagem de esperança, a fim de que o sentimento de quem consumir essa arte, absorva a realidade descrita por cada um sobre as favelas cariocas :

Rafinha disse que o favelado acorda sempre com a esperança de conseguir dias melhores. “Ele quer vencer, não querem ser mortos como na chacina da Penha e do Jacarezinho. Nosso povo preto está sempre sendo oprimido, parece que virou algo costumeiro aqui pelo nosso Complexo da Mangueirinha. Teve perda também de pessoas inocentes pela presença da polícia,por isso tudo o que queremos passar para as crianças e para os moradores é que independente de qualquer coisa, nós da favela vamos ter dias melhores, porque cada favelado é sonhador e é lutador” – afirmou Rafinha.


Para Drika, o povo preto vem a décadas mostrando que a gente pode sim ter dias melhores: “Cada dia é um dia para lutar, cada dia a gente pode gritar pelos nossos direitos. Dias Melhores é uma música que retrata muito isso. Para mim não é só a gente estar bem em nossa casa, é a gente trazer um pouco dessa liberdade para mostrar que a gente tá aí na favela. Vemos o quanto nosso povo é massacrado todo dia, eu acredito sim que dias melhores virão com muita luta no presente, para que no futuro a gente possa ter esses dias melhores “ disse Drika.

Lenon arremata dizendo que é difícil “mas ainda acredito que é possível melhorar muita coisa. Porque toda a estrutura é formada em prol do genocídio dos periféricos, dos negros, LGBTqiap+, das minorias. Tanto que na nossa música tem a parte que cito sobre o trabalhador que toma um tiro no peito, fato real que aconteceu aqui na comunidade a uns anos atrás. Lembro que eu tinha em torno de uns 13 anos de idade, o cara estava indo trabalhar de manhã cedo, foi jogar o lixo na barreira ( onde o pessoal costumava jogar o lixo). Os famosos defensores da população, para não dizer o contrário, deram um tiro no peito do mano, achando que era bandido. Isso é uma parada que me toca até hoje, porque eu era muito novo na época e ter que se deparar com aquele tipo de notícia é triste. Fico chateado porque não só essa mas outras diversas vezes, perdemos amigos deste modo cruel e para a vida do crime. A gente espera que através desse som, os moradores e qualquer outro consumidor do nosso som,possa entender essa mensagem, para que desta maneira, assim como nós, acreditem que é possível existir dias melhores” – finalizou Lenon.

O Clipe de Dias Melhores encontra-se disponível na plataforma YouTube -

https://m.youtube.com/watch?v=nwdF3o6m-k8

120 visualizações