Deputado Rodrigo Amorim é o primeiro réu por violência política no Brasil

O deputado foi transfóbico com a vereadora Benny Briolly no plenário da ALERJ


Esta semana, o Tribunal Regional Eleitoral – TRE, do Rio de Janeiro, aceitou a denúncia do Ministério Público contra o deputado estadual Rodrigo Amorim (PTB) após ele ter sido transfóbico com a vereadora Benny Briolly (PSOL), em uma plenária da ALERJ. Se condenado, Amorim pode se tornar inelegível.

Na ocasião, Rodrigo proferiu ofensas a vereadora, chamando-a de aberração da natureza “um vereador homem, pois nasceu com pênis e testículos. É uma aberração da natureza”, disse o deputado em uma sessão pública na ALERJ, no dia 17 de maio.


Vereadora Benny Briolly

Benny também acusa o deputado estadual de enviar um e-mail com ameaças de morte. De acordo com a parlamentar, a mensagem foi enviada no dia 25 de maio, e o remetente era o e-mail oficial do deputado da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro – ALERJ.

Na denúncia, os procuradores Neide Cardoso de Oliveira e José Augusto Vagos afirmam que Rodrigo constrangeu, humilhou e perseguiu a vítima, com menosprezo e discriminação, apenas por ser uma mulher-trans. E para o MPE, o objetivo do deputado seria impedir e dificultar o desempenho do mandato da vereadora.

O deputado é o primeiro réu de ação penal por violência política de gênero do país. A nova lei foi aprovada em 2021. Segundo ele, deputado tem imunidade parlamentar e que não estava se referindo a Benny, porém suas argumentações foram rejeitadas pelo desembargador João Ziraldo “Eu não consigo ver de forma alguma esse limite da imunidade parlamentar ou muito menos ainda acreditar que alguém possa crer que não existe limite à imunidade parlamentar, isso é pior ainda”, afirmou o desembargador.

A vereadora Renata Souza (PSOL) se manifestou em suas redes sociais “Rodrigo Amorim acaba de se tornar o primeiro réu por violência política no Brasil. Um recado direto para aqueles que ainda insistem em nos atacar”. Ela ainda relembrou episódios de violência por parte do deputado “A vereadora Benny Briolly foi vítima de violência política de gênero. Não é desconhecido que ele é um valentão que adora crescer para cima de mulheres, como foi comigo. O TRE, ao julgar a denúncia, pode torna-lo inelegível. Estaremos atentas”, publicou.

Rodrigo ficou conhecido após quebrar a placa em homenagem a vereadora Marielle Franco, assassinada em março de 2018.



258 visualizações