Caixa completa 160 anos com subsídios a pretos e pobres

A Caixa Econômica Federal, maior banco público do Brasil completa 160 anos hoje, dia 12 de janeiro, mas o que pouco se fala é o papel fundamental da Caixa para pretos e pobres: Hoje todos sabemos que se quisermos comprar uma casa e não tivermos todo o dinheiro, o banco é referência, mas você sabia que antes mesmo da Abolição, a Caixa foi um instrumento para a alforria de escravizados no "Brasil Colônia"? Aceitando depósitos feitos por pretos não-alforriados, a poupança representou, no passado, uma importante ferramenta para que, ao guardar suas economias, parte da população escravizada conseguisse “comprar” a alforria.

Ao ser criada, na cidade do Rio de Janeiro em 1861, com o propósito de “recolher os depósitos de poupança popular no Brasil”, a Caixa Econômica deu o primeiro passo para se tornar “a opção de investimento mais segura, acessível e adequada a todos os perfis, desde os pequenos poupadores a grandes investidores”, explicou o próprio banco, por meio de sua assessoria. Onze anos depois, com a publicação do Decreto nº 5.153, de 13 de novembro de 1872, a Lei 2.040, publicada um ano antes, foi regulamentada, para possibilitar o recolhimento de depósitos feitos por escravizados.


Auxílio emergencial fez um boom de depósitos

Ainda hoje, a poupança é o investimento preferido das camadas mais baixas, por sua seguridade, apesar de render menos de 2% ao ano. Em um balanço divulgado pela Caixa, em setembro de 2020, a poupança apresentou saldo de R$ 387,6 bilhões, o que representa avanço de 24,4% em 12 meses. Segundo o banco, esse crescimento, que corresponde a R$ 76,1 bilhões, reflete principalmente o impacto dos recursos creditados por causa do auxílio emergencial e do saque emergencial do FGTS, totalizando 180,8 milhões de contas no fim do terceiro trimestre de 2020.


Sucateamento e privatização

O sucateamento já começou, ontem, 11, o Banco do Brasil (BB) informou ao mercado que aprovou um plano de reorganização para ganhos de eficiência operacional que prevê, entre outras medidas, o fechamento de 112 agências da instituição, além da criação de um Programa de Adequação de Quadros (PAQ) e de um Programa de Desligamento Extraordinário (PDE). O banco diz que a implementação plena das medidas deve ocorrer durante o primeiro semestre deste ano.


O papel da Caixa e do Banco do Brasil no passado do Brasil é inegável, mas quais serão os papéis do bancos públicos se ele for privatizado como almeja Bolsonaro? O que acontecerá com programas habitacionais como o Minha Casa Minha Vida, instituído no Governo Lula e que tem decaído vertiginosamente desde o Golpe de 2015? Cabe a nós, pobres brasileiros impedirmos que haja o sucateamento e eventuais privatizações de instituições bancárias que de fato nos atendem.


4 visualizações