Boletim mostra número de mortes pela Covid em queda, porém, Rio permanece em em alerta

Diante de mais uma semana em que o Rio se manteve com alto risco para a doença, o prefeito da Cidade, Eduardo Paes pediu no dia 5, sexta-feira, a colaboração da população no enfrentamento ao Coronavírus, principalmente durante o Carnaval, evento já oficialmente cancelado na cidade.

"Vamos segurar um pouco. Peço àquelas pessoas que pretendem participar de festas, bailes de Carnaval não regularizados e autorizados, que não caiam nessa conversa, essas festas não vão se realizar. Vamos agir muito forte para impedir que as pessoas se matem", alertou Paes, lembrando que publicou um decreto no Diário Oficial desta sexta-feira com uma série de medidas restritivas para o período do Carnaval.



Esta é a terceira semana em que o estágio da Covid-19 nas 33 regiões administrativas (RAs) se manteve inalterado. Desde o início da pandemia, a cidade registra 191.038 casos da doença, com um total de óbitos de 17.535 e taxa de letalidade de 9,2%. As médias móveis de casos e óbitos registraram uma tendência de queda de novembro até agora. Mesmo assim, a Prefeitura continua intensificando as ações de fiscalização e orientação para garantir o cumprimento das regras restritivas de proteção à vida, que continuam as mesmas.


Calendário de vacinação antecipado

A antecipação do calendário de vacinação para atender, ainda em fevereiro, os idosos de 75 a 79 anos (incialmente era previsto vacinar no mês apenas pessoas a partir de 80 anos) foi possível devido à chegada de novo lote de vacinas e ao cronograma informado pelo Ministério da Saúde das remessas futuras. Confirmando-se esse cronograma, a SMS espera avançar ainda mais na imunização em março. Nesta primeira semana, foram atendidos nas unidades de Atenção Primária os idosos a partir de 90 anos, além dos profissionais de saúde com 60 anos ou mais que ainda não tinham se vacinado.



1 visualização