Ato Pacífico Pela Paz


Lideranças, moradores e associações de Manguinhos, promoveram na manhã desta sexta-feira, 05 de novembro, o Ato Pacífico Pela Paz na comunidade. A ação começou às 8:00, com o objetivo de reivindicar pela paz e respeito aos moradores da favela. De acordo com relatos de moradores, todas as noites policiais desembarcam do caveirão (veículo militar blindado para transportar policiais) e entram nas casas. Geralmente essas operações ocorrem em momentos que os moradores estão saindo ou chegando dos seus trabalhos. É muito difícil porque eu como moradora não tenho segurança no local onde vivo, quando acontece eu chego atrasada no trabalho, pois não tem como sair no meio da troca de tiros“, conta Jully Lima, moradora de Manguinhos.

O complexo de Manguinhos reúne 18 favelas e mais de 40 mil moradores, fica localizado na zona norte do Rio de Janeiro. Fazem parte do complexo de Manguinhos, as seguintes favelas: Nelson Mandela, Samora Machel, Ex-combatentes, Casa da Moeda, Tiradentes, Embratel, Desup, Nova CCPL, Centro Habitacional Provisório II (CHPII), Parque Proletário, João Goulart, Vila União, Vila Turismo, Parque Oswaldo Cruz (Morro do Amorim), Comunidade Agrícola, Vila São Pedro, Parque Carlos Chagas (Varginha) e Green Ville.


Foto: Portal G1

Há uma semana, o morador da favela de Manguinhos não consegue exercer seus direitos básicos, como por exemplo, o direito de ir e vir. Segundo relatos, os policiais tem entrado nas casas durante a madrugada e tem feito ameaças. A moradora Jully Lima disse ainda sobre a forma inesperada que as operações acontecem “As operações na maioria das vezes acontecem de forma inesperada, você nunca sabe quando eles vão entrar na comunidade, isso assusta, causa medo, nos obriga a ficar em alerta o tempo todo. Eles entram na nossa casa, chega a ser invasivo. A falta de preparo dos policiais é explicito e não é saudável para quem presencia”, conta

Os moradores saíram do campo da Coréia localizado na CHPII e foram em direção à cidade da polícia, localizada na Av. Dom Hélder Câmara. Outra questão que tem sido levantada pelos moradores, é barulho de tiros por conta dos treinamentos que ocorrem diariamente na Cidade da Polícia. Diego Vasconcelos, morador de Manguinhos, falou sobre o barulho intenso “É muito ruim, o dia inteiro escutamos tiro. Isso prejudica a gente. Eu estudo online e isso atrapalha até meus estudos, às vezes não sabemos quando é operação ou apenas treinamento. Parece uma forma de intimidar o morador”, diz.

A Polícia Militar informou em nota que o Batalhão de Operações Policiais Especiais vem realizando operações durante a noite no Complexo de Manguinhos, com o intuito de encontrar os responsáveis pela morte do policial militar Jamilton Machado de Assis, assassinado enquanto fazia patrulhamento em Benfica, no dia 27 de outubro.

“No final quem é mais prejudicado somos nós moradores que estamos perdendo nossa paz, nossa segurança ou até um amigo ou parente morto devido a uma operação mal executada, por isso estamos protestando e indo atrás dos nossos direitos”, finaliza Jully Lima.

6 visualizações