A Música Brasileira Perde o Rei do Soul

O Carioca de Madureira, bairro do Rio de Janeiro, Gerson King Combo, faleceu na noite desta terça-feira (22), aos 76 anos, por complicações ligadas à diabetes. O cantor fazia dublagens no programa apresentado por Jair de Taumaturgo, Hoje é dia de Rock, no início de sua carreira. Gerson era irmão de Getúlio Cortes, compositor de “Negro Gato” e passou a frequentar o Programa Jovem Guarda, de Roberto e Erasmo Carlos, onde difundiu seu estilo arrojado de dança. Ajudou a fundar a Banda Black Rio.



O nome Gerson King Combo, lhe trouxe sorte e muito sucesso. Foi rebatizado em homenagem à banda de soul jazz King Curtis Combo. Os três LPs lançados nos anos 1970 marcaram sua carreira com sucessos que até hoje são referências. Nos anos 2000, Gerson King Combo voltou a surpreender, com sua voz marcante e falas improvisadas no estilo funk, abriu caminho para o surgimento do rap nacional.


Seu legado vai muito além dos discos, shows e DVD emblemáticos para a black music nacional. Gerson King Combo foi um símbolo determinante para a identidade da juventude negra brasileira. Suas apresentações lotavam os clubes e quadras de favelas e bairros periféricos, onde suas obras como “Deixe sair o suor”, “Mandamentos Black”, “Funk Brother Soul” e “Good Bye” eram intercaladas com sucessos deJames Brown

O Portal Favelas é uma construção coletiva de moradores de favelas, para falar de e para as favelas, por meio da integração dos diversos canais de comunicação locais ou regionais.

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
  • Twitter