22 de abril: índios protestam contra Bolsonaro

A cidade de Porto Seguro, na Bahia, convidou o presidente Bolsonaro para celebrar o "aniversário do Descobrimento do Brasil" nesse 22 de abril, data marcada historicamente pelo marco do genocídio indígena por esses supostos "descobridores".



O Povo Pataxó foi às ruas com seus cantos e suas forças para dizer que basta de genocidas e que o Bolsonaro não é bem vindo em uma cidade construída em cima de sangue indígena.


Com o monumento de Cabral pintada de vermelho, o Povo Pataxó relembra o massacre aos povos que habitavam esta região e tiveram seu sangue derramado. E entrega seu recado que os Povos Indígenas já estavam aqui muito antes dos europeus pisarem nessa terra. Os Povos Originários existem e resistem muito antes de 1500.


O Cimi Regional Leste se solidariza com a luta do Povo Pataxó e repudia veementemente a celebração de aniversário de invasão e do genocídio do Povo Indígena!



🎥: @tukuma_pataxo

https://www.instagram.com/reel/CcqZIz2OXn7/?igshid=MDJmNzVkMjY=á

23 visualizações